História

Rua Marquês de Abrantes, 197. Foi aqui.

No post inaugural deste blog, Marco Zero, falei sobre a localização da casa de Horácio Costa Santos, na qual o Fluminense foi fundado. Como é sabido, a casa ficava na Rua Marquês de Abrantes, 51, na numeração da época. A novidade trazida naquele post era a declaração do fundador do clube, Alvaro Drolhe da Costa, de que ela ficava exatamente em frente à Rua Clarice Índio do Brasil.

Na verdade não era exatamente, mas quase isso. A informação dada pelo nobre fundador era um dica preciosa, mas ainda estava incompleta, vaga.

Estava.

Os documentos abaixo, obtidos na Secretaria Municipal de Urbanismo, encerram a questão. O antigo número 51 é o atual 197. Fica praticamente em frente à Rua Clarice Índio do Brasil, mas não exatamente. É necessário caminhar alguns metros à partir dali para chegar ao ponto exato.

Doc2b

Doc1b

No local hoje se encontram um prédio residencial, uma clinica veterinária e uma loja de auto-peças.

Já podemos portanto atualizar os livros de história para: o Fluminense Football Club foi fundado na Rua Marquês de Abrantes, número 51 (atual 197).

Agradecimentos: Maria Luiza Boltshauser e Anna Maria Boltshauser

O Marco Zero

bilhete fundacao

Hoje é dia de festa para a torcida tricolor. Há exatos 115 anos era fundado o maior clube do planeta. o clube de Oscar Cox, Preguinho, Marcos Carneiro de Mendonça, Romeu, Hércules, Arnaldo Guinle, Nelson Rodrigues, Castilho, Didi, Telê, Pinheiro, Carlos Alberto Torres, Félix, Samarone, Lula, Rivellino, Edinho, Assis, Romerito e tantos outros.

Mas aonde exatamente o Fluminense foi fundado? Quem é tricolor e gosta um pouquinho de história está cansado de saber que no dia 21 de Julho de 1902, vinte jovens se reuniram na casa de Horácio Costa Santos, situada na Rua Marquês de Abrantes, número 51, e fundaram o clube. Está em uma dezena de livros e em algumas centenas de citações na internet.

O casarão porém não existe mais. A numeração da rua também não é mais a mesma de 1902. De modo que o local exato era um mistério entre os historiadores do clube. Alguns diziam que foi próximo ao Colégio Bennett. Outros locais já foram cogitados, mas nada conclusivo.

Alvaro Drolhe da Costa, um dos vinte fundadores, esclarece a questão. Em entrevista concedida ao Jornal dos Sports e publicada no dia 21 de Julho de 1938, por ocasião do 36º aniversário do clube, ele fala, com a autoridade de quem estava presente naquela reunião histórica:

Minha impressão sobre o Fluminense de 38? Mas se ela aí está, viva, latente, afirmando uma grandeza que a todos, novos e antigos tricolores, enche de justo orgulho! Melhor seria que eu falasse sobre o Fluminense, mas aquele Fluminense de 1902, nascido ali na Rua Marquês de Abrantes, bem em frente a atual rua Clarice Índio do Brasil. O lar da família Costa Santos, que tinha em Horácio um de seus membros, foi o berço do Fluminense. Vinte rapazes ali o fundaram quando o futebol nada mais era que um mito em nossa capital. Um grupo de jovens que apenas ouvia falar no hoje esporte das multidões. Notícias vagas que vinham de São Paulo, onde a pelota de couro arregimentava os primeiros adeptos. Ingleses do Rio Cricket e do Paysandu que falavam do assunto. Nada mais. Como se vê, terreno nada fértil para germinar o interesse pelo futebol.

Foi portanto em frente à Rua Clarice Índio do Brasil que Oscar Cox concretizou seu sonho. Hoje no local encontram-se algumas casas comerciais. É provável que o terreno do casarão dos Costa Santos tenha se desmembrado. Mas Sabendo sua localização exata torna-se viável encontrar uma foto da época.

Marco zero

A imagem acima mostra a vista da Rua Marquês Abrantes a partir da Rua Clarice Índio do Brasil nos dias de hoje. O local exato da fundação, de acordo com Alvaro Drolhe da Costa. Nosso marco zero.

Este post é também o marco zero deste blog, que será dedicado ao Fluminense, sua história, curiosidades, estatísticas e afins. Sempre buscando fugir do lugar comum, trazendo informações inéditas ou ao menos diferentes. É uma ideia que venho alimentando há alguns meses e acabei colocando em prática às pressas, embalado pelo aniversário do clube e pela empolgação da “descoberta arqueológica”. O blog ainda está meio desajeitado mas aos poucos vou arrumando a casa.

Quanto aos 115 anos, para um clube que sabidamente tem a vocação da eternidade é só o começo. Que venham mais 500.

Saudações Tricolores