Autor: joaobolt

Estatísticas do Fluminense no Campeonato Carioca – Parte 2

Dando sequência às estatísticas e recordes do Fluminense no Campeonato Carioca, cuja primeira parte foi publicada aqui.

Jogadores com maior média de gols pelo Fluminense (*):
1. Rongo – 1,72 – 31G/18J (1940-1941)
2. Edwin Cox – 1,52 – 38G/25J (1906-1910)
3. Nilo – 1,51 – 56G/37J (1924-1926)
4. Horácio Costa Santos – 1,25 – 20G/16J (1906-1909)
4. Raul – 1,25 – 15G/12J (1936)
6. Welfare – 1,00 – 124G/124J (1913-1923)
7. Fogueira – 1,00 – 18G/18J (1938-1939)
8. Hércules – 0,97 – 96G/99J (1935-1942)
9. Ademir Menezes – 0,95 – 40G/42J (1946-1947)
10. Ambrois – 0,94 – 17G/18J (1954)
(*) Jogadores com um mínimo de 10 gols marcados

Rongo

O goleador argentino Rongo, dono da melhor média de gols pelo Fluminense no Campeonato Carioca

Goleiros com menor média de gols sofridos pelo Fluminense (**):
1. Ricardo Cruz – 0,60 – 27G/45J (1986-1988, 1994)
2. Renato – 0,70 – 44G/63J (1976-1979)
3. Wendell – 0,75 – 44G/59J (1977-1979)
4. Jorge Vitório – 0,77 – 36G/47J (1966-1973)
5. Félix – 0,79 – 116G/147J (1968-1977)
6. Paulo Victor – 0,84 – 129G/154J (1981-1988)
7. Ricardo Pinto – 0,89 – 81G/91J (1987-1991, 1993)
8. Jéferson – 0,92 – 23G/25J (1991-1992)
9. Márcio – 0,95 – 21G/22J (1963-1968)
10. Paulo Goulart – 0,96 – 47G/49J (1979-1982)
(**) Goleiros com um mínimo de 20 jogos disputados

RicardoCruz

Ricardo Cruz, goleiro com melhor média de gols sofridos

Recorde de minutos sem sofrer gols: Welerson, 759 minutos no campeonato de 1995.
Este é o recorde geral da história do clube, e não apenas o do Campeonato Carioca.

Welerson

Welerson, recordista de minutos sem sofrer gols

Treinadores que mais dirigiram o Fluminense:
1. Zezé Moreira – 199 (1951-1954, 1958-1962, 1973)
2. Ondino Viera – 152 (1938-1942, 1948-1949)
3. Nelsinho – 80 (1980-1981, 1985-1986)
4. Luiz Vinhaes – 77 (1929-1933)
4. Abel Braga – 77 (2005, 2012-2013, 2017-2018) (***)
6. Quincey Taylor – 65 (1913-1914, 1917-1918, 1935)
7. Edinho – 59 (1991, 1993, 1998)
8. Tim – 58 (1964-1966)
9. Carlos Alberto Parreira – 57 (1974, 1975, 1999, 2009)
10. Sylvio Pirillo – 56 (1955-1958)
10. Valdir Espinosa – 56 (1997, 2000-2001, 2004)
(***) até o jogo Fluminense 2 x 1 Volta Redonda no dia 4/3/2018.

ZezeMoreira

Zezé Moreira, o treinador que mais vezes dirigiu o Fluminense

Treinadores campeões:
1906 a 1909 – não havia um treinador mas sim uma comissão denominada “Ground Committee”, responsável pela escalação da equipe.
1911 – Charles Williams
1917 – Quincey Taylor
1918 – Quincey Taylor
1919 – Ramon Platero
1924 – Charles Williams
1936 – Carlos Nascimento e Arthur Azevedo (interinos) / Carlos Carlomagno
1937 – Carlos Carlomagno
1938 – Carlos Nascimento (interino) / Ondino Viera
1940 – Ondino Viera
1941 – Ondino Viera
1946 – Gentil Cardoso
1951 – Zezé Moreira
1959 – Zezé Moreira
1964 – Tim
1969 – Telê Santana
1971 – Zagallo
1973 – Zezé Moreira / Duque
1975 – Paulo Emílio / Carlos Alberto Parreira
1976 – Jair Rosa Pinto / Mário Travaglini
1980 – Nelsinho
1983 – Cláudio Garcia / Luís Carlos Ferreira (interino) / Carbone
1984 – Luiz Henrique / Carlos Alberto Torres
1985 – Nelsinho
1995 – Joel Santana
2002 – Waldemar Lemos / Robertinho
2005 – Abel Braga
2012 – Abel Braga

Maior número de gols marcados pelo Fluminense em um campeonato:
1. 1941 – 106 gols (****)
2. 1946 – 97 gols
3. 1976 – 74 gols
4. 1942 – 72 gols
5. 1979 – 70 gols
6. 1919 – 68 gols
7. 1954 – 67 gols
8. 1937 – 65 gols
8. 1947 – 65 gols
10. 1936 – 64 gols
(****) Nenhum outro time jamais ultrapassou a marca de 100 gols em um Campeonato Carioca

Fluminense-1941

O Fluminense de 1941. Este time além de conquistar o título no lendário Fla-Flu da Lagoa marcou 106 gols no campeonato. Uma marca jamais igualada.

Maior média de gols marcados pelo Fluminense em um campeonato:
1. 1906 – 5,20 – 52G/10J
2. 1909 – 5,00 – 45G/9J (*****)
3. 1908 – 4,89 – 44G/9J (*****)
4. 1935 – 4,20 – 63G/15J
5. 1946 – 4,04 – 97G/24J
6. 1924 – 3,86 – 54G/14J
7. 1941 – 3,79 – 106G/28J
8. 1919 – 3,78 – 68G/18J
9. 1936 – 3,56 – 64G/18J
10. 1911 – 3,50 – 21G/6J
10. 1915 – 3,50 – 42G/12J
10. 1910 – 3,50 – 28G/8J (*****)
(*****) Para o cálculo da média de gols foram desconsiderados os jogos decididos por WO

Menor número de gols sofridos pelo Fluminense em um campeonato:
1. 1911 – 1 gol
2. 1907 – 5 gols
3. 1906 – 6 gols
4. 1909 – 8 gols
5. 1959 – 9 gols
6. 1963 – 10 gols
7. 1908 – 11 gols
8. 1985 – 12 gols
8. 1970 – 12 gols
8. 1922 – 12 gols

Menor média de gols sofridos pelo Fluminense em um campeonato:
1. 1911 – 0,17 – 1G/6J
2. 1959 – 0,41 – 9G/22J
3. 1963 – 0,42 – 10G/24J
4. 1977 – 0,46 – 13G/28J
5. 1987 – 0,48 – 14G/29J
6. 1985 – 0,50 – 12G/24J
7. 1906 – 0,60 – 6G/10J
8. 1962 – 0,63 – 15G/24J
8. 1983 – 0,63 – 15G/24J
10. 1973 – 0,64 – 16G/25J

 

Top 10 – Minutos sem sofrer gols

O gol sofrido na partida de ontem contra o Avaí aos 43 minutos do primeiro tempo encerrou a série invicta de Júlio César. O goleiro chegou a um total de 570 minutos sem ser vazado e entrou na lista das 10 maiores invencibilidades já alcançadas por goleiros do Fluminense.

Minutos-sem-sofrer-gols

Detalhamento da lista:

1. Welerson (30/4/1995 a 25/6/1995) – 759 minutos
30/04/1995 – Fluminense 4 x 3 Flamengo – Campeonato Carioca – 58 min
07/05/1995 – Fluminense 1 x 0 Bangu – Campeonato Carioca – 90 min
14/05/1995 – Fluminense 1 x 0 América – Campeonato Carioca – 90 min
21/05/1995 – Fluminense 0 x 0 Botafogo – Campeonato Carioca – 90 min
27/05/1995 – Fluminense 1 x 0 Bangu – Campeonato Carioca – 90 min
04/06/1995 – Fluminense 0 x 0 Vasco – Campeonato Carioca – 90 min
11/06/1995 – Fluminense 2 x 0 Volta Redonda – Campeonato Carioca – 90 min
18/06/1995 – Fluminense 3 x 0 Entrerriense – Campeonato Carioca – 90 min
25/06/1995 – Fluminense 3 x 2 Flamengo – Campeonato Carioca – 71 min

2. Paulo Victor (23/11/1986 a 1/2/1987) – 648 minutos
23/11/1986 – Fluminense 5 x 1 Central-PE – Campeonato Brasileiro – 25 min
30/11/1986 – Fluminense 1 x 0 Flamengo – Campeonato Brasileiro – 90 min
03/12/1986 – Fluminense 2 x 0 Goiás – Campeonato Brasileiro – 90 min
06/12/1986 – Fluminense 0 x 0 Atlético-GO – Campeonato Brasileiro – 90 min
10/12/1986 – Fluminense 1 x 0 Grêmio – Campeonato Brasileiro – 90 min
14/12/1986 – Fluminense 2 x 0 Guarani – Campeonato Brasileiro – 90 min
21/01/1987 – Fluminense 4 x 0 Friburguense – Amistoso – 45 min (*)
24/01/1987 – Fluminense 2 x 0 Santa Cruz – Campeonato Brasileiro – 90 min
01/02/1987 – Fluminense 1 x 2 Criciúma – Campeonato Brasileiro – 38 min
(*) Paulo Victor foi substituído no intervalo

3. Paulo Victor (17/3/1988 a 20/4/1988) – 646 minutos
17/03/1988 – Fluminense 2 x 2 Botafogo – Campeonato Carioca – 20 min
20/03/1988 – Fluminense 0 x 0 Americano – Campeonato Carioca – 90 min
23/03/1988 – Fluminense 1 x 0 Volta Redonda – Campeonato Carioca – 90 min
27/03/1988 – Fluminense 1 x 0 Flamengo – Campeonato Carioca – 90 min
02/04/1988 – Fluminense 4 x 0 Friburguense – Campeonato Carioca – 75 min (*)
09/04/1988 – Fluminense 4 x 0 Volta Redonda – Campeonato Carioca – 90 min
14/04/1988 – Fluminense 2 x 0 América – Campeonato Carioca – 90 min
17/04/1988 – Fluminense 2 x 0 Botafogo – Campeonato Carioca – 90 min
20/04/1988 – Fluminense 1 x 1 Porto Alegre – Campeonato Carioca – 11 min
(*) Paulo Victor foi substituído por Ricardo Cruz nesta partida e nenhum jornal informa em que minuto a substituição ocorreu. O jornal O Globo cita uma defesa de Paulo Victor aos 30 minutos do 2º tempo, de modo que ele teria jogado no mínimo 75 minutos. Pode ter sido um pouco mais, o que aumentaria o total de 646 minutos.

4. Castilho (16/9/1956 a 11/11/1956) – 635 minutos
16/09/1956 – Fluminense 0 x 1 Flamengo – Campeonato Carioca – 4 min
22/09/1956 – Fluminense 2 x 0 Portuguesa – Campeonato Carioca – 90 min
30/09/1956 – Fluminense 1 x 0 América – Campeonato Carioca – 90 min
06/10/1956 – Fluminense 3 x 0 Bonsucesso – Campeonato Carioca – 90 min
14/10/1956 – Fluminense 6 x 0 Canto do Rio – Campeonato Carioca – 90 min
21/10/1956 – Fluminense 5 x 0 Olaria – Campeonato Carioca – 90 min
28/10/1956 – Fluminense 4 x 0 Portuguesa – Campeonato Carioca – 90 min
04/11/1956 – Fluminense 3 x 0 Madureira – Campeonato Carioca – 90 min
11/11/1956 – Fluminense 1 x 3 Bangu – Campeonato Carioca – 1 min

5. Paulo Victor (15/9/1985 a 2/11/1985) – 619 minutos
15/09/1985 – Fluminense 2 x 1 Volta Redonda – Campeonato Carioca – 63 min
18/09/1985 – Fluminense 1 x 0 Olaria – Campeonato Carioca – 90 min
22/09/1985 – Fluminense 0 x 0 Flamengo – Campeonato Carioca – 90 min
25/09/1985 – Fluminense 2 x 0 Americano – Campeonato Carioca – 90 min
20/10/1985 – Fluminense 0 x 0 Americano – Campeonato Carioca – 90 min
27/10/1985 – Fluminense 2 x 0 Vasco – Campeonato Carioca – 90 min
30/10/1985 – Fluminense 3 x 0 Bonsucesso – Campeonato Carioca – 90 min
02/11/1985 – Fluminense 1 x 2 Bangu – Campeonato Carioca – 16 min

6. Ricardo Pinto (8/9/1991 a 14/10/1991) – 589 minutos
08/09/1991 – Fluminense 1 x 2 Botafogo – Campeonato Carioca – 20 min
11/09/1991 – Fluminense 3 x 0 Portuguesa – Campeonato Carioca – 90 min
14/09/1991 – Fluminense 0 x 0 Bangu – Campeonato Carioca – 90 min
18/09/1991 – Fluminense 3 x 0 Itaperuna – Campeonato Carioca – 90 min
22/09/1991 – Fluminense 1 x 0 Vasco – Campeonato Carioca – 90 min
29/09/1991 – Fluminense 0 x 0 América – Campeonato Carioca – 90 min
06/10/1991 – Fluminense 0 x 0 Americano – Campeonato Carioca – 90 min
14/10/1991 – Fluminense 1 x 2 Goytacaz – Campeonato Carioca – 29 min

7. Diogo (1/11/1998 a 6/2/1999) – 583 minutos
01/11/1998 – Fluminense 0 x 2 Desportiva-ES – Amistoso – 53 min
08/11/1998 – Fluminense 3 x 0 Olaria – Copa Rio – 90 min
13/12/1998 – Fluminense 1 x 0 Botafogo de Macaé – Copa Rio – 90 min
15/12/1998 – Fluminense 2 x 0 Botafogo de Macaé – Copa Rio – 90 min
19/12/1998 – Fluminense 4 x 0 São Cristóvão – Copa Rio – 120 min (*)
30/01/1999 – Fluminense 4 x 0 Palmeiras – Torneio Rio-São Paulo – 90 min
06/02/1999 – Fluminense 1 x 2 Palmeiras – Torneio Rio-São Paulo – 50 min
(*) O jogo teve prorrogação

8. Júlio Cesar (28/1/2018 a 1/3/2018) – 570 minutos
28/01/2018 – Fluminense 2 x 1 Madureira – Campeonato Carioca – 77 min
31/01/2018 – Fluminense 1 x 0 Caldense – Copa do Brasil – 90 min
03/02/2018 – Fluminense 1 x 0 Macaé – Campeonato Carioca – 90 min
15/02/2018 – Fluminense 5 x 0 Salgueiro – Copa do Brasil – 90 min
21/02/2018 – Fluminense 4 x 0 Bangu – Campeonato Carioca – 90 min
24/02/2018 – Fluminense 4 x 0 Flamengo – Campeonato Carioca – 90 min
01/03/2018 – Fluminense 1 x 2 Avaí – Copa do Brasil – 43 min

9. Jorge Vitório (1/2/1973 a 3/6/1973) – 568 minutos
01/02/1973 – Fluminense 1 x 1 Argentinos Juniors – Torneio de Verão – 41 min
21/02/1973 – Fluminense 0 x 0 Desportiva-ES – Amistoso – 90 min
24/02/1973 – Fluminense 1 x 1 CEUB-DF – Amistoso – 0 min (*)
08/04/1973 – Fluminense 0 x 0 Vasco – Campeonato Carioca – 90 min
11/04/1973 – Fluminense 4 x 0 São Cristóvão – Campeonato Carioca – 90 min
14/04/1973 – Fluminense 0 x 0 Bonsucesso – Campeonato Carioca – 90 min
31/05/1973 – Fluminense 4 x 0 Sporting-Angola – Amistoso – 90 min
03/06/1973 – Fluminense 4 x 1 Benfica-Angola – Amistoso – 77 min
(*) Jorge Vitório substituiu Félix no decorrer desta partida mas não foi encontrado em nenhum jornal em que minuto a substituição ocorreu. Sendo assim não é possível precisar quantos minutos ele jogou. A única informação concreta é que Félix ainda estava em campo quando o CEUB marcou seu gol, aos 11 minutos do 2º tempo. Conclui-se então que Vitório manteve sua invencibilidade e jogou de 0 a 34 minutos. Seu total de 568 minutos pode portanto ter sido maior.

10. Félix (26/10/1975 a 3/12/1975) – 561 minutos
26/10/1975 – Fluminense 4 x 1 Vasco – Campeonato Brasileiro – 52 min
30/10/1975 – Fluminense 1 x 0 Santa Cruz – Campeonato Brasileiro – 90 min
02/11/1975 – Fluminense 3 x 0 Flamengo – Campeonato Brasileiro – 87 min (*)
05/11/1975 – Fluminense 0 x 0 Figueirense – Campeonato Brasileiro – 90 min
08/11/1975 – Fluminense 3 x 0 Sport – Campeonato Brasileiro – 90 min
12/11/1975 – Fluminense 4 x 0 Nacional-AM – Campeonato Brasileiro – 90 min
03/12/1975 – Fluminense 4 x 2 Palmeiras – Campeonato Brasileiro – 62 min
(*) Félix foi substituído aos 42 minutos do 2º tempo

13×0, um gol sofrido em oito jogos e goleada sobre o rival

O Fluminense estreou no Campeonato Carioca desse ano com uma derrota, ainda que com reservas, desanimadora, perdendo para o Boavista por 3×1. A partir deste jogo no entanto o time conseguiu números expressivos. Em oito jogos obteve seis vitórias e dois empates. Marcou 17 gols e sofreu apenas um.

Se é inegável que o nível dos adversários nestas partidas em geral foi muito baixo, também é verdade que o Fluminense tem enfrentado adversários igualmente frágeis nessa época do ano em quase todas as temporadas recentes, e nem sempre os resultados são bons.

Com a vitória por 4×0 obtida no clássico de ontem o Fluminense atingiu três marcas interessantes.

Em três jogos, três vitórias e 13 gols de saldo

Nos últimos três jogos o Fluminense obteve três vitórias e um placar agregado de 13×0. 5×0 sobre o Salgueiro, 4×0 sobre o Bangu e 4×0 sobre o Flamengo. Sem contar jogos amistosos a última vez que o Fluminense conseguiu esta marca foi em 1979. Nas três primeiras rodadas do octogonal decisivo do Campeonato Carioca daquele ano o Tricolor venceu respectivamente Goytacaz (5×0), Bangu (5×0) e Flamengo (3×0).

No vídeo abaixo a vitória por 3×0 no Fla-Flu de 1979, a última vez que o Fluminense havia conquistado três vitórias e 13 gols de saldo em três jogos de campeonato.

 

Um gol sofrido em oito jogos

Outra marca expressiva foi alcançada pelo sistema defensivo da equipe, que tem funcionado bem. Nos últimos oito jogos o time sofreu apenas um gol. Como se sabe a maior sequência sem sofrer gols que o Fluminense já teve aconteceu na campanha do inesquecível título de 1995. Naquela ocasião o goleiro Welerson ficou 759 minutos sem ser vazado. Em sequência: 58 minutos na vitória por 4×3 sobre o Flamengo, sete partidas inteiras e mais 71 minutos na decisão do campeonato, contra o mesmo Flamengo. Aquela do gol de barriga. No entanto, em oito jogos Welerson sofreu mais de um gol, seja se somarmos o jogo imediatamente anterior aos sete invictos (4×3), seja o que veio imediatamente depois (3×2).

Mais uma vez, excluindo-se amistosos, a última vez que o Fluminense levou apenas um gol em oito jogos foi no Campeonato Carioca de 1988. Conseguiu uma marca até melhor: um gol em nove jogos, conforme mostra a sequência abaixo

0) 17/03/1988 – Fluminense 2 x 2 Botafogo
1) 20/03/1988 – Fluminense 0 x 0 Americano
2) 23/03/1988 – Fluminense 1 x 0 Volta Redonda
3) 27/03/1988 – Fluminense 1 x 0 Flamengo
4) 02/04/1988 – Fluminense 4 x 0 Friburguense
5) 09/04/1988 – Fluminense 4 x 0 Volta Redonda
6) 14/04/1988 – Fluminense 2 x 0 América
7) 17/04/1988 – Fluminense 2 x 0 Botafogo
8) 20/04/1988 – Fluminense 1 x 1 Porto Alegre
9) 24/04/1988 – Fluminense 1 x 0 Bangu
0) 01/05/1988 – Fluminense 5 x 1 Americano

OBS: Apesar do Fluminense, assim como em 1995, ter ficado sete jogos consecutivos sem sofrer gols em 1988, em minutos a sequência de 1995 foi bem maior. 759 x 661.

Maior goleada sobre o Flamengo

Por saldo de gols o Fluminense igualou ontem suas maiores goleadas sobre o rival. O tricolor venceu por quatro gols de diferença nas seguintes oportunidades:

21/12/1919 – Fluminense 4 x 0 Flamengo
24/03/1943 – Fluminense 5 x 1 Flamengo
11/04/1945 – Fluminense 4 x 0 Flamengo
15/03/2003 – Fluminense 4 x 0 Flamengo
24/02/2018 – Fluminense 4 x 0 Flamengo

Abaixo o Fla-Flu de 2003, última vez que o Fluminense havia vencido o rival por 4×0. Naquele jogo o técnico tricolor Renato Gaúcho pediu para o time parar, evitando uma goleada ainda maior.

 

A foto do post é de Lucas Merçon/Fluminense FC.

 

Estatísticas do Fluminense no Campeonato Carioca – Parte 1

O Campeonato Carioca cujo segundo turno começou ontem com a goleada tricolor sobre o Bangu já teve seus dias de glória. Foi a competição mais importante do calendário dos clubes cariocas por mais da metade de suas existências. Por essa razão, ainda que o certame tenha perdido boa parte do seu charme e relevância, contar a sua história significa contar uma parte importante da trajetória do Fluminense. Este post traz uma série de informações, estatísticas e recordes do clube nesta competição.

Números gerais do Fluminense no Campeonato Carioca (até 2017):
2221 jogos, 1305 vitórias, 448 empates, 468 derrotas, 4814 gols pró, 2537 gols contra

Foram 113 participações nas quais o Fluminense obteve as seguintes colocações:
1º lugar: 31 vezes (1906, 1907, 1908, 1909, 1911, 1917, 1918, 1919, 1924, 1936, 1937, 1938, 1940, 1941, 1946, 1951, 1959, 1964, 1969, 1971, 1973, 1975, 1976, 1980, 1983, 1984, 1985, 1995, 2002, 2005, 2012)
2º lugar: 24 vezes (1910, 1915, 1920, 1925, 1927, 1933, 1935, 1943, 1949, 1952, 1953, 1956, 1957, 1960, 1961, 1963, 1970, 1972, 1979-especial, 1991, 1993, 2003, 2011, 2017)
3º lugar: 23 vezes (1922, 1926, 1942, 1948, 1962, 1965, 1966, 1967, 1977, 1978, 1986, 1988, 1990, 1992, 1994, 1998, 1999, 2004, 2008, 2010, 2013, 2014, 2016)
4º lugar: 18 vezes (1914, 1916, 1923, 1929, 1939, 1944, 1947, 1955, 1958, 1979, 1987, 1989, 1996, 1997, 2000, 2001, 2009, 2015)
5º lugar: 10 vezes (1912, 1913, 1928, 1931, 1934, 1945, 1954, 1974, 1981, 1982)
6º lugar: 4 vezes (1930, 1932, 1950, 1968)
7º lugar: 1 vez (1921)
8º lugar: 2 vezes (2006, 2007)

Títulos invictos: 1908, 1909, 1911

Títulos de turnos:
Taça Guanabara(*): 7 (1975, 1983, 1985, 1991, 1993, 2012, 2017)
Taça Rio: 2 (1990, 2005)
Taça Fadel Fadel: 1 (1972)
Taça Francisco Laport: 1 (1973)
Taça José Ferreira Agostinho: 1 (1973)
Taça Amadeu Rodrigues Sequeira: 1 (1976)
Taça João Coelho Netto: 1 (1980)
(*) O Fluminense conquistou a Taça Guanabara também em 1966, 1969 e 1971, mas nessas ocasiões ela era um campeonato à parte, independente do Campeonato Carioca

Títulos do Campeonato Carioca em outras categorias:
Aspirantes: 8 (1941, 1951, 1952, 1953, 1954, 1957, 1962, 1963)
Segundo Quadro: 4 (1908, 1911, 1921, 1924)
Terceiro Quadro: 3 (1919, 1921, 1923)
Amadores: 2 (1933, 1938)
Juniores/Sub-20: 17 (1947, 1948, 1949, 1950, 1951, 1955, 1968, 1970, 1975, 1976, 1988, 2002, 2003, 2004, 2008, 2012, 2013)
Juvenil/Sub-17: 17 (1966, 1967, 1968, 1974, 1975, 1977, 1982, 1989, 1999, 2001, 2002, 2003, 2008, 2009, 2011, 2013, 2014)
Infantil/Sub-15: 18 (1916, 1970, 1971, 1973, 1974, 1975, 1978, 1979, 1981, 1987, 2002, 2004, 2005, 2008, 2010, 2012, 2015, 2017)
Infantil Segundo Quadro: 2 (1916, 1917)

Os campeonatos de segundo e terceiro quadros eram disputados por equipes reservas no período do amadorismo.
O campeonato de amadores continuou existindo após a implantação do profissionalismo em 1933. No entanto, deixou de ser a principal competição da cidade.

Melhores campanhas do Fluminense no Campeonato Carioca:
1. 1911 – 100% (6J, 12PG, 6V, 0E, 0D)
2. 1919 – 94,44% (18J, 34PG, 17V, 0E, 1D)
3. 1906 – 90,00% (10J, 18PG, 9V, 0E, 1D)
4. 1909 – 90,00% (10J, 18PG, 8V, 2E, 0D, saldo de gols 37)
5. 1908 – 90,00% (10J, 18PG, 8V, 2E, 0D, saldo de gols 33)
6. 1924 – 89,29% (14J, 25PG, 12V, 1E, 1D)

Melhores campanhas do Fluminense na era profissional, a partir de 1933:
1. 1937 – 86,36% (22J, 38PG, 17V, 4E, 1D, saldo de gols 43)
2. 1959 – 86,36% (22J, 38PG, 17V, 4E, 1D, saldo de gols 36)
3. 1976 – 82,81% (32J, 53PG, 23V, 7E, 2D)
4. 1960 – 81,82% (22J, 36PG, 16V, 4E, 2D)
5. 1938 – 81,25% (16J, 26PG, 12V, 2E, 2D)
6. 1941 – 80,36% (28J, 45PG, 22V, 1E, 5D)

Fluminense-1937

Time de 1937 que obteve a melhor campanha do Fluminense na era profissional. Em pé: Júlio de Almeida (Diretor de Futebol), Guimarães, Moysés, Batatais, Santamaria, Brant, Orozimbo, Carlos Carlomagno (Treinador) e Machado. Agachados: Sobral, Romeu, Sandro, Tim, Hércules e Milton

Maior Invencibilidade: 32 jogos entre 1959 e 1960, com 26 vitórias e 6 empates.
30/08/1959 – Bangu 1 x 0 Fluminense – última derrota antes da série invicta
05/09/1959 – Fluminense 4 x 0 Madureira
13/09/1959 – Fluminense 2 x 1 Botafogo
26/09/1959 – Fluminense 1 x 0 Olaria
04/10/1959 – Fluminense 2 x 0 Vasco
11/10/1959 – Fluminense 3 x 1 Vasco
18/10/1959 – Fluminense 2 x 0 São Cristóvão
25/10/1959 – Fluminense 3 x 0 Portuguesa
01/11/1959 – Fluminense 4 x 0 Olaria
08/11/1959 – Fluminense 1 x 1 América
14/11/1959 – Fluminense 2 x 1 Canto do Rio
22/11/1959 – Fluminense 2 x 0 Flamengo
28/11/1959 – Fluminense 5 x 0 Bonsucesso
06/12/1959 – Fluminense 0 x 0 Bangu
12/12/1959 – Fluminense 2 x 0 Madureira – neste jogo o Fluminense assegurou o título de 1959 com uma rodada de antecipação
20/12/1959 – Fluminense 3 x 3 Botafogo
24/07/1960 – Fluminense 1 x 0 Botafogo
03/08/1960 – Fluminense 5 x 0 Canto do Rio
06/08/1960 – Fluminense 4 x 1 Portuguesa
14/08/1960 – Fluminense 1 x 1 América
20/08/1960 – Fluminense 1 x 0 São Cristóvão
28/08/1960 – Fluminense 4 x 2 Bonsucesso
03/09/1960 – Fluminense 3 x 1 Bangu
11/09/1960 – Fluminense 1 x 1 Flamengo
17/09/1960 – Fluminense 5 x 1 Madureira
24/09/1960 – Fluminense 4 x 1 Olaria
30/09/1960 – Fluminense 2 x 0 Vasco
09/10/1960 – Fluminense 2 x 0 Bangu
16/10/1960 – Fluminense 1 x 0 Portuguesa
23/10/1960 – Fluminense 2 x 1 Olaria
29/10/1960 – Fluminense 1 x 1 Bonsucesso
05/11/1960 – Fluminense 4 x 1 Canto do Rio
12/11/1960 – Fluminense 5 x 0 Madureira
20/11/1960 – Flamengo 3 x 1 Fluminense – derrota que quebrou a invencibilidade de 32 jogos

fluminense-1960

Este time alcançou a maior série invicta do Fluminense no Campeonato Carioca. 32 jogos sem perder entre 1959 e 1960. Em pé: Clóvis, Jair Marinho, Edmílson, Altair, Castilho e Pinheiro. Agachados: Maurinho, Paulinho, Waldo, Telê e Escurinho

Maior sequência de vitórias: 17 jogos entre 1919 e 1920
27/07/1919 – São Cristóvão 2 x 0 Fluminense – último jogo antes da série de vitórias
17/08/1919 – Fluminense 4 x 0 Bangu
24/08/1919 – Fluminense 3 x 1 Flamengo
31/08/1919 – Fluminense 6 x 0 Andaraí
07/09/1919 – Fluminense 3 x 2 América
05/10/1919 – Fluminense 5 x 1 Carioca
26/10/1919 – Fluminense 3 x 1 Mangueira
09/11/1919 – Fluminense 3 x 2 Bangu
16/11/1919 – Fluminense 2 x 1 Vila Isabel
23/11/1919 – Fluminense 5 x 2 Botafogo
30/11/1919 – Fluminense 4 x 3 São Cristóvão
14/12/1919 – Fluminense 4 x 2 Andaraí
21/12/1919 – Fluminense 4 x 0 Flamengo – neste jogo o Fluminense assegurou o título de 1919 com uma rodada de antecipação
28/12/1919 – Fluminense 4 x 1 América
11/04/1920 – Fluminense 3 x 2 Bangu
25/04/1920 – Fluminense 3 x 2 São Cristóvão
02/05/1920 – Fluminense 2 x 1 Andaraí
09/05/1920 – Fluminense 7 x 1 Palmeiras
23/05/1920 – Flamengo 2 x 1 Fluminense – jogo que quebrou a série de 17 vitórias seguidas

Fluminense-1919

14/12/1919 – Fluminense 4 x 2 Andaraí. Um dos 17 jogos da maior série de vitórias consecutivas do Fluminense no Campeonato Carioca. Foto: Flu-Memória

Maiores goleadas do Fluminense no Campeonato Carioca:
1. 09/09/1906 – Fluminense 11 x 0 Football & Athletic
1. 05/07/1908 – Fluminense 11 x 0 Riachuelo
3. 09/12/1917 – Fluminense 11 x 1 Bangu
3. 21/09/1946 – Fluminense 11 x 1 Bangu
5. 13/06/1909 – Fluminense 10 x 0 Haddock Lobo
5. 27/09/1936 – Fluminense 10 x 0 Portuguesa
7. 03/05/1908 – Fluminense 10 x 1 Paysandu
8. 17/08/1913 – Fluminense 10 x 2 Mangueira
8. 05/10/1941 – Fluminense 10 x 2 Bangu

Maiores públicos do Fluminense no Campeonato Carioca (**):
1. 15/12/1963 – Fluminense 0 x 0 Flamengo – 177.020 (presente: 194.603)
2. 15/06/1969 – Fluminense 3 x 2 Flamengo – 171.599
3. 16/05/1976 – Fluminense 0 x 0 Flamengo – 155.116
4. 16/12/1984 – Fluminense 1 x 0 Flamengo – 153.520
5. 27/06/1971 – Fluminense 1 x 0 Botafogo – 142.339
6. 02/08/1970 – Fluminense 2 x 0 Flamengo – 138.599
7. 22/04/1979 – Fluminense 1 x 1 Flamengo – 138.557
8. 23/04/1972 – Fluminense 2 x 5 Flamengo – 137.002
9. 07/09/1972 – Fluminense 1 x 2 Flamengo – 136.829
10.18/10/1964 – Fluminense 3 x 3 Flamengo – 136.606
(**) público pagante

FlaFlu1963

15/12/1963 – Fluminense 0 x 0 Flamengo. Com 177.020 pagantes este jogo além de ser o recorde de público do Fluminense no Campeonato Carioca é simplesmente o recorde mundial de público em jogos entre clubes. Foto: O Globo

Jogadores com maior número de jogos pelo Fluminense:
1. Castilho – 345 (1947-1964)
2. Pinheiro – 277 (1949-1962)
3. Altair – 228 (1956-1969)
4. Telê – 225 (1951-1961)
5. Escurinho – 203 (1954-1963)
6. Rubens Galaxe – 188 (1973, 1976-1982)
7. Edinho – 187 (1974-1981, 1989)
7. Fortes – 187 (1917-1930)
9. Bigode – 172 (1943-1949, 1952-1955)
10. Batatais – 169 (1935-1945)

Jogadores com maior número de campeonatos disputados pelo Fluminense (***):
1. Castilho – 18 (1947-1964)
2. Oswaldo Gomes – 16 (1906-1921)
3. Altair – 14 (1956-1969)
3. Fortes – 14 (1917-1930)
3. Pinheiro – 14 (1949-1962)
6. Preguinho – 13 (1925-1935, 1937-1938)
7. Zezé – 12 (1915-1925, 1928)
8. Batatais – 11 (1935-1945)
8. Bigode – 11 (1943-1949, 1952-1955)
8. Telê – 11 (1951-1961)
8. Welfare – 11 (1913-1923)

castilho

Castilho, recordista de jogos pelo Fluminense no Campeonato Carioca. 345 atuações em 18 edições da competição.

Jogadores com mais títulos pelo Fluminense (***):
8 títulos
Oswaldo Gomes (1906, 1907, 1908, 1909, 1911, 1917, 1918, 1919)
5 títulos
Romeu, Hércules, Batatais, Brant e Machado (1936, 1937, 1938, 1940, 1941)

(***) Necessário disputar ao menos uma partida no campeonato, não sendo contabilizados jogadores que faziam parte do elenco mas não atuaram.

OswaldoGomes

Oswaldo Gomes é o recordista de títulos do Campeonato Carioca com oito conquistas. Nenhum jogador do Fluminense ou de qualquer outro clube alcançou esta marca

Maiores artilheiros:
1. Welfare – 124 (1913-1923)
2. Waldo – 102 (1954-1960)
3. Orlando – 101 (1945-1953)
4. Hércules – 96 (1935-1941)
5. Preguinho – 94 (1925-1935, 1937-1938)
6. Zezé – 80 (1915-1925, 1928)
7. Russo – 69 (1933-1937, 1939-1943)
8. Telê – 67 (1951-1961)
9. Alfredinho – 65 (1926-1932, 1937)
10. Pedro Amorim – 61 (1939-1947)

Welfare

O inglês Harry Welfare, maior goleador do Fluminense na história do Campeonato Carioca com 124 tentos

Maior número de gols em um jogo:
6 gols
Edwin Cox (03/05/1908 – Fluminense 10 x 1 Paysandu)
Buchan (13/06/1909 – Fluminense 10 x 0 Haddock Lobo)
Welfare (09/12/1917 – Fluminense 11 x 1 Bangu)
Rongo (20/07/1941 – Fluminense 9 x 0 São Cristóvão)
5 gols
Welfare (01/08/1915 – Fluminense 9 x 1 São Cristóvão)
Zezé (26/05/1918 – Fluminense 6 x 1 Vila Isabel)
Nilo (04/05/1924 – Fluminense 6 x 5 Bangu)
Alfredinho (22/05/1927 – Fluminense 7 x 4 Bangu)
Russo (08/11/1941 – Fluminense 7 x 2 Bangu)
Maracaí (05/04/1942 – Fluminense 6 x 2 Bonsucesso)

Maior número de gols em um campeonato:
1. Nilo – 28 (1924)
1. Rodrigues – 28 (1946)
3. Orlando – 26 (1949)
3. Rongo – 26 (1941)
5. Ademir Menezes – 24 (1946)
6. Carlyle – 23 (1951)
6. Hércules – 23 (1937)
6. Welfare – 23 (1915)
9. Hércules – 22 (1936)
9. Nilo – 22 (1925)
9. Waldo – 22 (1956)
9. Welfare – 22 (1919)

Artilheiros do Campeonato Carioca pelo Fluminense:
1906 – Horácio Costa Santos – 18
1908 – Edwin Cox – 15
1911 – James Calvert – 6
1914 – Bartholomeu – 10
1915 – Welfare – 23
1924 – Nilo – 28
1932 – Preguinho – 21
1936 – Hércules – 22
1946 – Rodrigues – 28
1948 – Orlando – 21
1951 – Carlyle – 23
1956 – Waldo – 22
1964 – Amoroso – 19
1965 – Amoroso – 10
1969 – Flávio – 15
1970 – Flávio – 18
1976 – Doval – 20
1980 – Cláudio Adão – 20
1992 – Ézio – 15
2003 – Fábio Bala – 10
2011 – Fred – 10
2015 – Fred – 11

Fred

Fred, último jogador do Fluminense a ser artilheiro do Campeonato Carioca, feito alcançado nos anos de 2011 e 2015

A foto que ilustra este post, do time campeão de 2012 (último título carioca do Fluminense), pertence a Photocamera.

O Bastão de Revezamento e os bastões miniatura do Campeonato Carioca

Uma curiosa premiação outorgada aos clubes campeões cariocas de 1937 a 1973 foi o Bastão de Revezamento. Por iniciativa do Fluminense a premiação foi instituída em 1948. Um belíssimo bastão de prata de posse transitória que passaria das mãos do clube campeão para o campeão seguinte, ano após ano.

A posse definitiva do bastão ficaria com o clube que conquistasse cinco títulos consecutivos ou dez alternados, contando-se a partir de 1937. O motivo da escolha dessa data inicial foi tratar-se do ano de fundação da Federação Metropolitana de Football, ano da pacificação e do fim da cisão no futebol carioca.

blog-do-bolt-historiadores-dos-esportes-bastao-de-revezamento-taca-colombo-taca-amea-taca-municipal-historia-campeonato-carioca-5

O Bastão de Revezamento, premiação concedida aos campeões cariocas de 1937 a 1973

Os nomes dos campeões de 1937 a 1947 foram gravados no bastão, que foi entregue ao Vasco da Gama, então o atual campeão, no dia 23 de Junho de 1948. A partir daí o bastão foi sendo transmitido ano a ano para o novo campeão, geralmente em cerimônia realizada na primeira partida entre os dois clubes no campeonato subsequente.

blog-do-bolt-historiadores-dos-esportes-bastao-de-revezamento-taca-colombo-taca-amea-taca-municipal-historia-campeonato-carioca-passagem-do-bastao-de-revezamento-do-fluminense-ao-america

Abertura do Campeonato Carioca de 1961: Fluminense (campeão de 59) x América (campeão de 60). Antes da partida o presidente tricolor Jorge Frias de Paula passa o Bastão de Revezamento para o presidente americano Waldir Motta. Foto: O Globo.

Quando o bastão foi instituído em 1948, sua regulamentação previa ainda que a Federação concedesse uma premiação anual definitiva ao campeão: uma miniatura do bastão. Essa ideia no entanto só foi posta em prática em 1961, ocasião em que a entidade, de uma tacada só, concedeu sete bastões em miniatura ao Fluminense (referentes aos títulos de 1937, 38, 40, 41, 46, 51 e 59), sete ao Flamengo (1939, 42, 43, 44, 53, 54 e 55), sete ao Vasco (1945, 47, 49, 50, 52, 56 e 58), dois ao Botafogo (1948 e 57) e um ao América (1960).

O Fluminense conquistou o direito à posse definitiva do bastão de revezamento em 1971, ano em que alcançou seu décimo título a partir de 1937, porém o regulamento da premiação se extraviou na Federação. Em 1972 e 73 o bastão continuou a ser passado de campeão para campeão, o nome do campeão continuou a ser gravado e os bastões miniatura continuaram sendo concedidos. Apenas em 1974 o Fluminense conseguiu comprovar seu direito à posse definitiva.

Uma curiosidade: o bastão miniatura referente ao título de 1964 nunca foi entregue ao Fluminense. É possível que existam lacunas semelhantes nas premiações aos demais clubes, por falha da Federação.

O Bastão de Revezamento, um prêmio de grande relevância que representa uma era extraordinária do futebol carioca, abrangendo as décadas de 1930 a 1970, está atualmente exposto na Sala de Troféus do Fluminense, assim como os 10 bastões em miniatura que o clube possui, referentes aos seus títulos de 1937 a 1973, exceto 1964.

blog-do-bolt-historiadores-dos-esportes-bastao-de-revezamento-taca-colombo-taca-amea-taca-municipal-historia-campeonato-carioca-6

O Bastão de Revezamento e os 10 bastões miniatura conquistados pelo Fluminense (1937, 38, 40, 41, 46, 51, 59, 69, 71 e 73). A lacuna é referente ao bastão entregue ao Fluminense pelo campeonato de 1940, que estava em processo de restauração. O Fluminense não recebeu da Federação a miniatura do bastão por 1964

A Federação só passou a entregar regularmente um troféu ao campeão de cada ano na segunda metade da década de 1950. Antes disso, tirando alguns casos isolados, a premiação era feita com troféus de posse transitória. Além do Bastão de Revezamento existiram a Taça Colombo, a Taça Municipal e a Taça AMEA.

A Taça Colombo, o troféu de 1906 a 1919

O primeiro troféu do campeonato carioca foi a Taça Colombo. Ela foi entregue a todos os campeões de 1906 a 1919. Sua posse era provisória e ela ficaria em definitivo com o clube que conquistasse o campeonato três vezes seguidas, feito obtido pelo Fluminense em 1917, 18 e 19. Ela possui esse nome pois foi ofertada em 1906 pela Casa Colombo, importante loja de artigos masculinos da época.

Vale ressaltar que o Fluminense não ficou com a taça em definitivo já em 1908 porque o título de 1907 só foi reconhecido oficialmente décadas depois.

A Taça Municipal, o troféu de 1908 a 1924

Em 1908, a Taça Municipal foi instituída pelo Prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Sousa Aguiar. Sua posse era transitória, da mesma forma que a Taça Colombo, mas não havia uma condição para que um clube ficasse em definitivo com ela. A Taça Municipal foi entregue a todos os campeões da Liga Metropolitana de Sports Athléticos (LMSA), de 1908 a 1916, e da Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMDT), de 1917 a 1924.

De 1908 a 1919, os campeões do Rio receberam portanto a Taça Colombo e a Taça Municipal pela conquista do campeonato. Como a Taça Colombo ficou com o Fluminense em 1919, tudo indica que a Taça Municipal foi o único troféu oficial entregue pela LMDT aos campeões de 1920 (Flamengo), 1921 (Flamengo), 1922 (America), 1923 (Vasco) e 1924 (Vasco).

Em 1924, o Rio teve dois campeonatos. O Vasco, campeão pela LMDT, recebeu a Taça Municipal. O Fluminense, campeão do primeiro campeonato organizado pela Associação Metropolitana de Esportes Athléticos (AMEA), recebeu a Taça AMEA.

Mesmo com o campeonato da AMEA sendo o principal da cidade, a LMDT seguiu organizando seus campeonatos e entregando aos seus campeões a Taça Municipal. Em 1925, o campeão foi o Engenho de Dentro. Em 1932, o S.C. Boa Vista foi seu último campeão. O paradeiro atual da taça é desconhecido.

blog-do-bolt-historiadores-dos-esportes-bastao-de-revezamento-taca-colombo-taca-amea-taca-municipal-historia-campeonato-carioca-fluminense-campeao-1908

O time do Fluminense, campeão carioca de 1908, com as taças Colombo e Municipal. Novamente campeão em 1909, o Fluminense passaria os dois troféus em 1910 ao Botafogo, quando a equipe alvinegra conquistou o campeonato

 

1908-taca-colombo-taca-municipal

No detalhe a Taça Colombo, à esquerda, e a Taça Municipal, à direita.

A Taça AMEA, o troféu de 1924 a 1934

A partir de 1924, a AMEA passou a entregar a Taça AMEA, que da mesma forma que a Taça Colombo, seria de posse transitória até que um clube conquistasse um tricampeonato. O Fluminense deteve a taça apenas na conquista do título de 1924 e sua posse definitiva ficou com o Botafogo pelos títulos de 1932, 33 e 34.

Este post foi escrito em parceria com os historiadores Jorge Priori e Auriel de Almeida. Uma versão com mais informações sobre as premiações oficiais do Campeonato Carioca está disponível no blog Historiadores dos Esportes.

Histórico contra os adversários na Florida Cup

O Fluminense jogou poucas vezes contra PSV Eindhoven e Barcelona de Guaiaquil, seus adversários na Florida Cup, torneio que abre a temporada de 2018. E pelo menos até aqui pode afirmar que nunca perdeu.

Contra o PSV houve apenas um confronto. Foi pelo Torneio de Amsterdam de 1991, competição que reuniu ainda Ajax e Sampdoria. Na primeira rodada do torneio o Fluminense foi facilmente derrotado pelo Ajax por 3×0. No jogo seguinte, seu último compromisso na competição, o Tricolor enfrentou justamente o PSV onde se destacavam Romário e o zagueiro Ronald Koeman.

Os melhores momentos dessa partida estão no vídeo abaixo:

Curiosidades do vídeo:

1) Um raro gol de falta de Ézio. Talvez seu único pelo Fluminense.

2) O primeiro gol de Romário contra o Fluminense. Quatro anos depois, na decisão do Campeonato Carioca de 1995, ele faria o primeiro em uma competição oficial.

3) A torcida local aparentemente torce pelo Fluminense. Talvez pela rivalidade entre Ajax e PSV, talvez pelo fato de que um tropeço do PSV garantiria o título do Ajax.

Com a vitória nos pênaltis o Fluminense ficou em terceiro lugar no torneio. O Ajax foi o campeão.

Contra o Barcelona de Guaiaquil o Fluminense jogou três vezes e venceu as três com facilidade. Foram três amistosos, todos eles jogados na casa do adversário:

22/04/1950 – Fluminense 6 x 4 Barcelona
Estádio George Capwell (Guaiaquil)
Gols: Didi (3), Carlyle, Waldir, Tite

22/04/1956 – Fluminense 5 x 1 Barcelona
Estádio George Capwell (Guaiaquil)
Gols: Alecyr (2), Clóvis, Waldo, Jair Francisco

07/07/1985 – Fluminense 3 x 0 Barcelona – Modelo (Guaiaquil)
Estádio Modelo Alberto Spencer (Guaiaquil)
Gols: Assis (2), Washington